quarta-feira, 30 de agosto de 2017

O que é a blasfêmia contra o Espírito Santo?





“Por isso eu afirmo a vocês que as pessoas serão perdoadas por qualquer pecado ou blasfêmia que disserem contra Deus. Mas quem blasfemar contra o Espírito Santo não será perdoado. Se alguém disser alguma coisa contra o Filho do Homem, será perdoado; mas quem falar contra o Espírito Santo não será perdoado, nem agora nem no futuro”. (Mt 12,31-32; Mc 3,28-30)

Significado de Blasfêmia - substantivo feminino. (Dicionário Aurélio)

Etimologia (origem da palavra blasfêmia): do grego blasphemia.

1.    Discurso, palavra proferida, que ofende fortemente uma divindade, insulta uma religião ou tudo que pode ser considerado sagrado.

2.    Discurso, expressão, opinião, enunciado capaz de denegrir e ofender algo respeitoso ou reverenciado.

3.    Palavra injuriosa contra pessoa ou coisa respeitável.

4.    Contrassenso. Declaração absurda, sem nexo, sem lógica.

A questão da “blasfêmia contra o Espírito” no Novo Testamento é mencionada em Marcos 3,22-30 e Mateus 12,22-32. O termo blasfêmia pode ser geralmente definido como “irreverência desafiante”. Aplicaríamos o termo a pecados como amaldiçoar a Deus, ou, propositadamente, degradar coisas relativas a Deus. Também o é atribuir mal a Deus, ou negar atribuir-lhe algum bem devido. Este caso de blasfêmia, entretanto, é específico, chamado de “A Blasfêmia contra o Espírito Santo” em Mateus 12,31. Em Mateus 12,31-32, os Fariseus, tendo testemunhado provas irrefutáveis que Jesus fazia milagres no poder do Espírito Santo, afirmaram que, ao contrário, o Senhor estava possuído pelo demônio “Belzebu” (Mateus 12,24). Note que em Marcos 3,30 Jesus é muito específico a respeito do que exatamente eles fizeram para cometer a “blasfêmia contra o Espírito Santo”.


Esta blasfêmia tem a ver com alguém acusando Jesus Cristo de ser possuído por demônios ao invés de estar cheio do Espírito. Há outras maneiras de blasfemar contra o Espírito Santo, mas esta foi “A” blasfêmia imperdoável. Como resultado, a blasfêmia contra o Espírito Santo não pode acontecer hoje. Jesus Cristo não está sobre a terra, mas assentado ao lado direito de Deus. Ninguém pode testemunhar que Jesus Cristo esteja fazendo um milagre e atribuir este poder a Satanás ao invés do Espírito. Apesar de não haver blasfêmia do Espírito hoje, devemos sempre lembrar que há um estado de existência imperdoável: o estado de incredulidade. Não há perdão para alguém que morre em incredulidade. A contínua rejeição às exortações a crer em Jesus Cristo é a blasfêmia imperdoável. Lembre-se do que foi dito em João 3:16: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. A única condição na qual alguém não pode ter perdão é se esse alguém não estiver entre “todo aquele que nele crê”.

terça-feira, 29 de agosto de 2017

O DIABO É O PAI DA MENTIRA




Uma pergunta que surge com muita frequência entre os crentes é: Satanás, o diabo, é uma pessoa real, ou apenas uma ideia que representa, simbolicamente, o mal?

A Bíblia não deixa dúvidas quanto ao fato de que Satanás não é apenas uma idéia, ou uma representação simbólica do mal, mas que ele é, na realidade, uma pessoa! Sempre que a Bíblia se refere a Satanás, fala dele como uma pessoa. Vejamos, por exemplo, o livro de Jó 1.7-8: "Perguntou o SENHOR a Satanás: Donde vens? Satanás respondeu ao SENHOR e disse: De rodear a terra e passear por ela. Perguntou ainda o SENHOR a Satanás: Observaste a meu servo Jó? porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desvia do mal". Aí temos um diálogo mantido entre o Senhor e Satanás. Deus perguntou e Satanás respondeu. No capítulo dois do livro de Jó, o mesmo diálogo se repete.

Vejamos ainda um versículo em Zacarias, 3.2, onde lemos: "O SENHOR disse a Satanás: O SENHOR te repreende, ó Satanás, sim, o SENHOR que escolheu a Jerusalém te repreende".Ora, um ser que se movimenta inteligentemente, que pode falar e ouvir, sendo interrogado e respondendo, podendo ouvir palavras de censura e repreensão, não pode, de modo algum, ser mera idéia ou representação simbólica, só pode ser uma pessoa.

Os livros da Bíblia chamados evangelhos, nos quais lemos sobre a vida e o ministério do Senhor Jesus, apresentam-nos o relato da tentação do Senhor, e ali, ainda uma vez, encontramos Satanás falando com Cristo. Não é possível imaginarmos que o nosso Salvador estivesse conversando com uma representação simbólica, ou, como alguns dizem, uma influência, pois tais coisas não podem falar. Examinemos o evangelho de Mateus, 4.1: "A seguir, foi Jesus levado pelo Espírito, ao deserto, para ser tentado pelo diabo". Três pessoas são mencionadas ali: Jesus Cristo, que é uma Pessoa, o Espírito Santo, que, embora alguns queiram negar, é também, uma Pessoa, e o diabo, a seguir chamado o tentador. As propostas que ele fez a Cristo naquela ocasião revelam inteligência e astúcia somente possíveis a uma pessoa e nunca a uma idéia ou influência impessoal.

A Bíblia fala também do caráter de Satanás. Cristo disse aos Seus inimigos rebeldes: "Vós sois do diabo, que é vosso pai, e quereis satisfazer-lhe os desejos. Ele foi homicida desde o princípio e jamais se firmou na verdade, porque nele não há verdade. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira"(Jo 8.44). Notemos que Cristo menciona os desejos de Satanás, o que indica ter ele personalidade, pois somente quem tem personalidade pode ter desejos. Notemos, ainda, que tais desejos são maus, pois são frutos de um caráter criminoso, insincero e mentiroso.

O apóstolo João confirma esta verdade, mostrando como o pecado tem a sua origem no diabo, e como somente o Senhor Jesus Cristo pode destruir as suas más obras. Diz o apóstolo sob inspiração divina: "Aquele que pratica o pecado procede do diabo, porque o diabo vive pecando desde o princípio. Para isto se manifestou o Filho de Deus, para destruir as obras do diabo" (1 Jo 3.8).

Portanto, verificamos que Satanás fala, ouve, tenta, peca, pratica obras, possui um caráter mau, baseia os seus atos na mentira, e em tudo isso somos convencidos de que ele é uma pessoa, aliás, uma pessoa muito perigosa contra a qual devemos estar precavidos.

Os seus próprios nomes nos dão uma idéia do perigo que ele representa; ele é chamado o tentador; isto quer dizer que ele ataca os cristãos do mesmo modo como atacou o Senhor Jesus Cristo, procurando levá-los à prática do pecado. Ele é também chamado diabo, que significa "o acusador". E esse nome está muito de acordo com o seu caráter. No livro de Jó verificamos como ele acusava o servo de Deus perante a Sua presença, enquanto, através da esposa de Jó, procurava acusar a Deus de ser insensível e injusto. Assim, ele procura desprestigiar o crente perante Deus, e, ao mesmo tempo, desprestigiar a Deus perante o crente.

Em Ap 12.9-10, lemos: "E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que se chama diabo e Satanás, o sedutor de todo o mundo... Então ouví grande voz do céu, proclamando: Agora veio a salvação, o poder, o reino de nosso Deus e a autoridade do Seu Cristo, pois foi expulso o acusador de nossos irmãos, o mesmo que os acusa, de dia e de noite, diante do nosso Deus". Sim, o diabo é o acusador.

O terceiro nome que a Bíblia lhe dá é Satanás, que significa "adversário". Tal é o nome que o identifica como inimigo de Deus e do Seu povo.

O propósito de Satanás sempre foi estragar a obra de Deus. Portanto, caro irmão ou irmã, convém tomar cuidado. A Bíblia recomenda vigilância e resistência contra o grande adversário. Ouçamos o conselho da Palavra de Deus: "Sujeitai-vos, portanto, a Deus; mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós" (Tg 4.7). "Sêde sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar; resisti-lhe firmes na fé"(1 Pe 5.8-9).

Se você quiser ter a certeza de um poder inteiramente à sua disposição para vencer o adversário, siga Àquele que primeiro o venceu, o Senhor Jesus Cristo. Os verdadeiros cristãos estão seguindo a um Capitão vitorioso, e sabem que, apesar de ser um inimigo perigoso, Satanás é um adversário já vencido. Pela Sua morte na cruz o Senhor Jesus Cristo derrotou a Satanás, o príncipe das trevas, juntamente com as suas hostes malígnas. Em Cl 2.15, lemos: "Cristo despojou os principados e potestades, e publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz".
Cristo declarou que, em Sua morte, foi julgado o mundo, e expulso o seu príncipe. Todo aquele que permanece em comunhão com o Senhor Jesus Cristo, permanece do lado vitorioso. Vai chegar o dia quando Satanás será lançado no lago de fogo, onde, por toda a eternidade sofrerá o castigo por todas as suas iniquidades. Sua derrota definitiva já está decretada.

Louvemos ao Senhor pela bendita segurança que Ele nos oferece e vigiemos em oração a fim de não cairmos nos astuciosos ardís do perigoso inimigo.

COMO SATANÁS É O DEUS DESTE MUNDO (2Cor 4,4)









A frase "deus deste mundo" (ou "deus deste século") indica que Satanás é a maior influência sobre os ideais, opiniões, metas, desejos e pontos de vista da maioria das pessoas. Sua influência também abrange filosofias, educação e comércio mundiais. Os pensamentos, ideias, especulações e falsas religiões do mundo estão sob o seu controle e surgiram a partir de suas mentiras e enganos.

Satanás também é chamado de "príncipe das potestades do ar" em Efésios 2,2. Ele é o "príncipe deste mundo" em João 12,31. Estes títulos e muitos outros representam as capacidades de Satanás. Dizer, por exemplo, que Satanás é o "príncipe das potestades do ar" significa que, de alguma forma, ele governa o mundo e as pessoas.

Isso não quer dizer que ele governa o mundo completamente; Deus ainda é soberano. Entretanto, significa que Deus, em Sua infinita sabedoria, permitiu que Satanás operasse neste mundo dentro dos limites que Deus estabeleceu para ele. Quando a Bíblia diz que Satanás tem poder sobre o mundo, devemos nos lembrar de que Deus deu a ele domínio apenas sobre os incrédulos. Os crentes não estão mais sob o domínio de Satanás (Colossenses 1,13). Os incrédulos, por outro lado, estão presos "no laço do diabo" (2 Timóteo 2,26), encontram-se no "poder do maligno" (1 João 5,19) e são escravos de Satanás (Efésios 2,2).

Assim, quando a Bíblia diz que Satanás é o "deus deste mundo", ela não está dizendo que ele tem autoridade máxima. Está transmitindo a ideia de que Satanás governa o mundo descrente de uma maneira específica. Em 2 Coríntios 4,4, o incrédulo segue agenda de Satanás: "o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus". O esquema de Satanás inclui a promoção de falsas filosofias no mundo - filosofias que cegam o incrédulo para a verdade do Evangelho. As filosofias de Satanás são as fortalezas nas quais as pessoas são presas, e elas devem ser libertas por Cristo.

Um exemplo de tal filosofia falsa é a crença de que o homem possa ganhar o favor de Deus por um determinado ato ou atos. Em quase todas as religiões falsas, merecer o favor de Deus ou ganhar a vida eterna é um tema predominante. Ganhar a salvação pelas obras, no entanto, é contrário à revelação bíblica. O homem não pode trabalhar para ganhar o favor de Deus; a vida eterna é um dom gratuito (ver Efésios 2:8-9). E esse dom gratuito está disponível por meio de Jesus Cristo e só por Ele (João 3:16; 14:6). Você pode perguntar por que a humanidade não simplesmente recebe o dom gratuito da salvação (João 1:12). A resposta é que Satanás - o deus deste mundo - tem tentado a humanidade a seguir o seu orgulho em seu lugar. Satanás define a agenda, o mundo incrédulo a segue e a humanidade continua a ser enganada. Não é à toa que a Bíblia chama de Satanás de um mentiroso (João 8:44).

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

QUEM CRIOU DEUS? COMO DEUS SURGIU DO NADA?




Quem criou Deus?

Ninguém criou Deus. Deus sempre existiu. Essa é a definição de eterno. Deus é o Criador que não precisou ser criado. Deus não tem princípio nem fim.

Tudo que vemos e conhecemos neste mundo teve princípio e foi criado por outra pessoa ou coisa. Mas Deus é diferente. Ele não é uma criação como nós; Ele é o Criador. Tudo foi criado por Deus mas Deus não foi criado por ninguém. É por isso que Ele é Deus (“Antes de formares os montes e de começares a criar a terra e o Universo, tu és Deus eternamente, no passado, no presente e no futuro.” - Salmos 90,2 - Moisés).

A Bíblia diz que Deus é eterno. Ele sempre existiu. Ninguém O criou, nem O ensinou, nem O ajudou a crescer ( “Quem pode conhecer a mente do Senhor? Quem é capaz de lhe dar conselhos? Quem lhe deu lições ou ensinamentos? Quem lhe ensinou a julgar com justiça ou quis fazê-lo aprender mais coisas ou procurou lhe mostrar como ser sábio?- Isaías 40,13-14). Deus não tem data de nascimento.

Talvez isso ajuda a entender: quem é salvo vai ter a vida eterna. Sua vida não vai acabar, por toda a eternidade. Assim como os salvos vão viver pela eternidade no futuro, Deus também existiu por toda eternidade no passado. A vida dos salvos tem princípio mas não vai ter fim; a vida de Deus não tem fim nem princípio! – “Ó Senhor, o teu trono está firme desde o princípio; tu sempre exististe.” (Salmos 93,2 - Davi).

Como Deus surgiu do nada?

Deus não veio do nada. O nada não existia, sempre houve Deus. O universo não foi criado a partir de nada, foi criado a partir de Deus (“O céu é teu, e a terra é tua; tu criaste o mundo e tudo o que nele existe”. Salmos 89,11 - Etã, o ezraíta.).
Na Bíblia, Deus explicou que Seu nome é “Eu Sou”. Isso significa que, em todo tempo, Deus sempre existe. Ele sempre foi, sempre é e sempre será Deus (“Deus disse: — Eu Sou Quem Sou. E disse ainda: — Você dirá o seguinte: “Eu Sou me enviou a vocês.” Êxodo 3,14).

Nosso próprio conceito de tempo vem da mudança, do princípio e do fim das coisas. Deus não muda. Ele é sempre o mesmo (“Tudo de bom que recebemos e tudo o que é perfeito vêm do céu, vêm de Deus, o Criador das luzes do céu. Ele não muda, nem varia de posição, o que causaria a escuridão”. Tiago 1,17). Ele criou o tempo. Antes de Deus os criar, princípio e fim não existiam!


Se Deus tivesse um criador, Ele não seria Deus. O criador de Deus seria Deus. E depois teríamos de perguntar: quem criou o criador de Deus? Porque essa pessoa seria Deus. E assim por diante, até chegarmos a “alguém” que tivesse surgido do nada ou que tivesse sempre existido, sem ter criador nem princípio. A Bíblia diz que não há outro Deus, que criou o Deus que adoramos. Deus é esse “alguém” que sempre existiu e não teve criador (“O Senhor, o Rei e Salvador de Israel, o Deus Todo-Poderoso, diz: ‘Eu sou o primeiro e o último, além de mim não há outro deus’”. Isaías 44,6-7).

QUAL É O PODER DA ORAÇÃO



Sim, oração tem poder porque Deus usa nossas orações para fazer milagres. A Bíblia diz que Deus dá poder à oração. Orar para Deus transforma nossas vidas.

A oração é muito importante na vida do cristão. Quando oramos, ficamos mais próximos de Deus. Por isso, é muito importante criar o hábito de orar em todas as situações (1 Tessalonicenses 5,17 – “orem sempre”).

A ideia de que oração possui poder inerente é bem popular. De acordo com a Bíblia, o poder da oração é simplesmente o poder de Deus, o qual escuta e responde às orações. Considere o seguinte:

1) O Senhor todo-poderoso pode fazer qualquer coisa; não há nada impossível para Ele (Lucas 1:37).

2) O Senhor todo-poderoso convida o Seu povo a orar a Ele. Oração a Deus deve ser feita de uma forma bem persistente (Lucas 18:1 – “Jesus contou a seguinte parábola, mostrando aos discípulos que deviam orar sempre e nunca desanimar:”); com ação de graças (Filipenses 4:6 “Não se preocupem com nada, mas em todas as orações peçam a Deus o que vocês precisam e orem sempre com o coração agradecido.”); em fé (Tiago 1:5 “Mas, se alguém tem falta de sabedoria, peça a Deus, e ele a dará porque é generoso e dá com bondade a todos.”), de acordo com a vontade de Deus (Mateus 6:10 – “Venha o teu Reino. Que a tua vontade seja feita aqui na terra como é feita no céu!”), para a glória de Deus (João 14:13-14 – “E tudo o que vocês pedirem em meu nome eu farei, a fim de que o Filho revele a natureza gloriosa do Pai. Eu farei qualquer coisa que vocês me pedirem em meu nome.”) e de um coração correto diante de Deus (Tiago 5:16 – “Portanto, confessem os seus pecados uns aos outros e façam oração uns pelos outros, para que vocês sejam curados. A oração de uma pessoa obediente a Deus tem muito poder.”).

3) O Senhor todo-poderoso escuta as orações de Seus filhos. Ele nos manda orar, e promete escutar nossas orações. “No meu desespero, eu clamei ao Senhor e pedi que ele me ajudasse. Do seu templo no céu o Senhor ouviu a minha voz, ele escutou o meu grito de socorro.” (Salmos 18,6 - Davi).Eu oro a ti, ó Deus, porque tu me respondes. Por isso ouve-me, escuta as minhas palavras.” (Salmos 17:6 - Davi). “Quando as pessoas honestas chamam o Senhor, ele as ouve e as livra de todas as suas aflições.” (Salmos 34,17 - Davi).

Uma outra ideia popular é que a quantidade de fé determina se Deus vai ou não responder as nossas orações. No entanto, às vezes o Senhor responde nossas orações apesar da nossa falta de fé. Em Atos 12, a igreja ora pela libertação de Pedro da prisão (“E assim Pedro estava preso e era vigiado pelos guardas; mas a igreja continuava a orar com fervor por ele.” v.5), e Deus responde suas orações (“De repente, apareceu um anjo do Senhor, e uma luz brilhou dentro da cela. O anjo tocou no ombro de Pedro, acordou-o e disse: — Levante-se depressa! Então as correntes caíram das mãos dele. — Aperte o cinto e amarre as sandálias! — disse o anjo. E Pedro fez o que o anjo mandou. — Ponha a capa e venha comigo! — ordenou o anjo. Pedro saiu da cadeia e foi seguindo o anjo. Porém não sabia se, de fato, o anjo o estava libertando. Ele pensava que aquilo era uma visão. Eles passaram pelo primeiro e pelo segundo posto da guarda e chegaram ao portão de ferro que dava para a rua. O portão se abriu sozinho, e eles saíram. Andaram por uma rua, e, de repente, o anjo foi embora. Então Pedro compreendeu o que estava acontecendo e disse: — Agora sei que, de fato, o Senhor mandou o seu anjo e me livrou do poder de Herodes e de tudo o que os judeus tinham a intenção de me fazer.”v.7-11). Pedro bate à porta do lugar onde as pessoas estavam reunidas para orar, mas aqueles que estavam orando de primeira se recusaram a acreditar que realmente era Pedro. Eles oraram para que Pedro fosse liberto, mas não acreditavam que iriam receber uma resposta à sua oração.

O poder da oração não vem de nós – não são palavras especiais que dizemos ou um jeitinho especial que oramos ou até mesmo quão frequentemente repetimos nossas orações. O poder da oração não é baseado em que direção nos viramos ou qual a posição dos nossos corpos quando oramos. O poder da oração não vem do uso de artefatos, imagens, velas ou do rosário. O poder da oração é baseado em Quem escuta nossa oração e a ela responde. Oração nos coloca em contato com o Deus todo-poderoso, e devemos esperar grandes resultados, quer Deus queira nos dar ou negar o que pedimos, ou até mesmo se Ele pede para que esperemos nEle. Qualquer que seja a resposta das nossas orações, o Deus a quem oramos é a fonte de todo o poder. Ele pode e vai nos responder de acordo com a Sua perfeita vontade e no momento que Ele julgar correto.

Deus é o poder por trás da oração. Sem Deus, a oração não tem poder nenhum. Mas quando cremos em Deus, a oração tem poder para:

Curar – em resposta à oração, Deus pode curar doenças físicas e psicológicas, dor emocional e sofrimento espiritual. – “Essa oração, feita com fé, salvará a pessoa doente. O Senhor lhe dará saúde e perdoará os pecados que tiver cometido.” (Tg 5,15)

Libertar – a oração tem poder para libertar da opressão espiritual do diabo e do pecado; a oração pode libertar de vícios – “Aos que crerem será dado o poder de fazer estes milagres: expulsar demônios pelo poder do meu nome e falar novas línguas; 18se pegarem em cobras ou beberem algum veneno, não sofrerão nenhum mal; e, quando puserem as mãos sobre os doentes, estes ficarão curados.” (Marcos 16:17-18).

Fortalecer – a oração nos ajuda a focar em Deus e Seu poder; através da oração, Ele nos dá a força que precisamos para superar as dificuldades.

Perdoar – a oração de arrependimento nos traz o perdão de Deus; quando oramos, Deus também nos ajuda a perdoar outras pessoas que nos machucaram – “E, quando estiverem orando, perdoem os que os ofenderam, para que o Pai de vocês, que está no céu, perdoe as ofensas de vocês.” (Marcos 11,25).


Fazer outros milagres – não há limites para o poder de Deus; respondendo a orações, Deus já abriu caminhos na água, mandou fogo do céu, ressuscitou mortos, multiplicou comida, abriu portas de prisões, mudou o tempo...

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

O que a Bíblia diz sobre o purgatório?





Resposta: 
De acordo com a Enciclopédia Católica, o purgatório é “um lugar ou condição de punição temporal para aqueles que, deixando esta vida na graça de Deus, não estão inteiramente livres de erros veniais, ou não pagaram completamente a satisfação devida pelas suas transgressões”. Para resumir, na teologia católica, o purgatório é um lugar para onde uma alma cristã vai depois da morte, a fim de ser purificada dos pecados que não foram completamente pagos durante a vida. Esta doutrina do purgatório está de acordo com a Bíblia? Absolutamente não!

Jesus morreu para pagar por todos os nossos pecados (Romanos 5:8). Isaías 53:5 declara: “Mas Ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados”. Jesus sofreu pelos nossos pecados para que nós fossemos livrados do sofrimento. Dizer que nós também devemos sofrer pelos nossos pecados é dizer que o sofrimento de Jesus foi insuficiente. Dizer que nós devemos pagar pelos nossos pecados nos purificando no purgatório é negar a suficiência do pagamento feito pelo sacrifício de Jesus (I João 2:2). A idéia de que nós temos que sofrer pelos nossos pecados após a morte é contrário a tudo o que a Bíblia diz sobre a salvação.

A principal passagem das Escrituras que os católicos apontam como evidência do purgatório é I Coríntios 3:15, que diz: “Se a obra de alguém se queimar, sofrerá ele dano; mas esse mesmo será salvo, todavia, como que através do fogo”. A passagem (I Coríntios 3:15) usa uma ilustração das coisas passando pelo fogo como uma descrição das obras dos crentes sendo julgadas. Se as nossas obras forem de boa qualidade, “ouro, prata, pedras preciosas”, elas irão passar ilesas através do fogo, e nós seremos recompensados por elas. Se as nossas obras forem de má qualidade, “madeira, feno, palha”, elas serão consumidas pelo fogo, e não haverá recompensa. A passagem não diz que os crentes passam pelo fogo, mas que as suas obras passam. I Coríntios 3:15 se refere ao crente sendo “salvo, todavia, como que através do fogo”, não “sendo purificado pelo fogo”.

O purgatório, como tantos outros dogmas católicos, é baseado na má compreensão da natureza do sacrifício de Cristo. Os católicos vêem a Missa/Eucaristia como uma reapresentação do sacrifício de Cristo porque eles falham em entender que o sacrifício de Jesus, de uma vez por todas, foi absolutamente e perfeitamente suficiente (Hebreus 7:27). Os católicos vêem obras merecedoras de mérito como uma contribuição para a salvação devido a uma falha em reconhecer que o pagamento feito pelo sacrifício de Jesus não necessita de “contribuições” adicionais (Efésios 2:8-9). Da mesma forma, o purgatório é entendido pelos católicos como um lugar de purificação em preparação para o Céu porque eles não reconhecem que, por causa do sacrifício de Jesus, nós já somos purificados, declarados justos, perdoados, redimidos, reconciliados e santificados.

A própria idéia do purgatório, e as doutrinas que freqüentemente estão associadas a ela (orações pelos mortos, indulgências, obras a favor dos mortos, etc.) falha em reconhecer que a morte de Jesus foi suficiente para pagar a pena de TODOS os nossos pecados. Jesus, que é Deus encarnado (João 1:1,14), pagou um preço infinito pelo nosso pecado. Jesus morreu pelos nossos pecados (I Coríntios 15:3). Jesus é o pagamento pelos nossos pecados (I João 2:2). Limitar o sacrifício de Jesus como um pagamento pelo pecado original, ou pelos pecados cometidos antes da salvação, é um ataque à Pessoa e à Obra de Jesus Cristo. Se nós devemos em qualquer sentido pagar ou sofrer por causa dos nossos pecados, isso indica que a morte de Jesus não foi perfeita, completa, e um sacrifício suficiente.

Para os crentes, o estado pós-morte é estar “ausente do corpo e habitando com o Senhor” (II Coríntios 5:6-8; Filipenses 1:23). Note que não diz “ausente do corpo, no purgatório com fogo purificador”. Não, por causa da perfeição, completude e suficiência do sacrifício de Jesus, nós estamos imediatamente na presença do Senhor após a morte, completamente purificados, livres do pecado, glorificados, perfeitos e finalmente santificados.

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

PORQUE DANIEL NÃO FOI COMIDO PELOS LEÕES!!



O jovem Daniel,era temente a Deus e obedecia à sua palavra,tinha no coração e em sua mente a certeza da vida eterna,e era cheio do Espírito Santo,que é um dos atributos essencial para aqueles que querem vencer a si mesmo, e todo o inferno e o seu chefe que é satanás! O porque,de,os leões não devorarem a Daniel,se dá pelo fato de não sentirem o cheiro de carne;por estar cheio do Espírito Santo de Deus.Assim como Jesus em (mt 4;11),satanás não tinha o que fazer porque não havia pecado nele.Quando estamos em pecado a carne exala um odor forte!que é percebido a quilômetros de distância por quem está faminto por carne!SEDE SÓBRIOS,VIGIAI,PORQUE O DIABO,VOSSO ADVERSÁRIO,ANDA EM DERREDOR,BRAMANDO COMO UM LEÃO,BUSCANDO A QUEM POSSA TRAGAR! (1pe 5;8).Já o Espírito Santo exala o bom perfume que é o perfume de Cristo!  (cnt 5;13).Quando nos enchemos do Espírito Santo de  Deus na sua plenitude estamos prontos para enfrentar qualquer dificuldade,tenha ela qual for o seu grau ou circunstâncias; porque os anjos tem ordem expressa do próprio Deus para nos guardar (sl 91;11).Assim como foi com Daniel nas covas dos leões (dn 6;1-23).

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

MORTE NA BÍBLIA





  1. Como é a morte? É como um sono. A Bíblia diz em 1 Tessalonicenses 4:13 “Não queremos, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais como os outros que não têm esperança..”

  2. Onde dormem os mortos? A Bíblia diz em Daniel 12:2 “E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para a vida eterna, e outros para vergonha e desprezo eterno.”

  3. Os mortos sabem de alguma coisa? A Bíblia diz em Eclesiastes 9:5-6, 10 “Pois os vivos sabem que morrerão, mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tampouco têm eles daí em diante recompensa; porque a sua memória ficou entregue ao esquecimento. Tanto o seu amor como o seu ódio e a sua inveja já pereceram; nem têm eles daí em diante parte para sempre em coisa alguma do que se faz debaixo do sol. Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças; porque no Seol, para onde tu vais, não há obra, nem projeto, nem conhecimento, nem sabedoria alguma.”

  4. A morte não é o fim? A Bíblia diz em Isaías 26:19 “Os teus mortos viverão, os seus corpos ressuscitarão; despertai e exultai, vós que habitais no pó; porque o teu orvalho é orvalho de luz, e sobre a terra das sombras fá-lo-ás cair.”

  5. Que promete Jesus aos que morrem? A Bíblia diz em Oséias 13:14 “Eu os remirei do poder do Seol, e os resgatarei da morte. Onde estão, ó morte, as tuas pragas? Onde está, ó Seol, a tua destruição? A compaixão está escondida de meus olhos.”

  6. O poder da ressurreição vem de Cristo?. A Bíblia diz em 1 Coríntios 15:21-22 “Porque, assim como por um homem veio a morte, também por um homem veio a ressurreição dos mortos. Pois como em Adão todos morrem, do mesmo modo em Cristo todos serão vivificados.”

  7. Por que Deus deu o Seu Filho ao mundo? A Bíblia diz em João 3:16 “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”

  8. Ambos os justos e os ímpios serão ressuscitados? A Bíblia diz em João 5:28-29 “Não vos admireis disso, porque vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz e sairão: os que tiverem feito o bem, para a ressurreição da vida, e os que tiverem praticado o mal, para a ressurreição do juízo.”

  9. Os justos serão ressuscitados na Segunda Vinda de Cristo? A Bíblia diz em 1 Tessalonicenses 4:16-17 “Porque o Senhor mesmo descerá do céu com grande brado, à voz do arcanjo, ao som da trombeta de Deus, e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos seremos arrebatados juntamente com eles, nas nuvens, ao encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor.”

  10. Que acontecerá depois da ressurreição? A Bíblia diz em Filipenses 3:20-21 “Mas a nossa pátria está nos céus, donde também aguardamos um Salvador, o Senhor Jesus Cristo, que transformará o corpo da nossa humilhação, para ser conforme ao corpo da sua glória, segundo o seu eficaz poder de até sujeitar a si todas as coisas.”

  11. Por quanto tempo viverão os justos ressuscitados? A Bíblia diz em Lucas 20:36 “Porque já não podem mais morrer; pois são iguais aos anjos, e são filhos de Deus, sendo filhos da ressurreição.”

  12. Quanto tempo têm que esperar os ímpios depois da primeira ressurreição para que eles mesmos sejam ressuscitados? A Bíblia diz em Apocalipse 20:4-5 “E eles [os justos] reviveram, e reinaram com Cristo durante mil anos. (Mas os outros mortos não reviveram, até que os mil anos se completassem.).”

  13. Qual é o destino dos ímpios? A Bíblia diz em Apocalipse 20:9 “Mas desceu fogo do céu, e os devorou.”

  14. Quem são os ímpios? A Bíblia diz em Apocalipse 21:8 “Mas, quanto aos medrosos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos adúlteros, e aos feiticeiros, e aos idólatras, e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago ardente de fogo e enxofre, que é a segunda morte.”

  15. Que diz a Bíblia sobre o céu? A Bíblia diz em João 14:2-3 “Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito; vou preparar-vos lugar. E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos tomarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também.”

  16. O conceito de céu é algo que já conhecemos? A Bíblia diz em 1 Coríntios 2:9 “Mas, como está escrito: As coisas que olhos não viram, nem ouvidos ouviram, nem penetraram o coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam.”

  17. Como descreveu Isaías o céu? A Bíblia diz em Isaías 65:21-23 “E eles edificarão casas, e as habitarão; e plantarão vinhas, e comerão o fruto delas. Não edificarão para que outros habitem; não plantarão para que outros comam; porque os dias do meu povo serão como os dias da árvore, e os meus escolhidos gozarão por longo tempo das obras das suas mãos: Não trabalharão debalde, nem terão filhos para calamidade; porque serão a descendência dos benditos do Senhor, e os seus descendentes estarão com eles.”

  18. Haverá paz até no reino animal? A Bíblia diz em Isaías 65:25 “O lobo e o cordeiro juntos se apascentarão, o leão comerá palha como o boi; e pó será a comida da serpente. Não farão mal nem dano algum em todo o meu santo monte, diz o Senhor.”

  19. Os deficientes serão curados? A Bíblia diz em Isaías 35:5-6 “Então os olhos dos cegos serão abertos, e os ouvidos dos surdos se desimpedirão. Então o coxo saltará como o cervo, e a língua do mudo cantará de alegria.”

  20. Quando a morte, lamento e dor vão acabar? A Bíblia diz em Apocalipse 21:3-4 “E ouvi uma grande voz, vinda do trono, que dizia: Eis que o tabernáculo de Deus está com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e Deus mesmo estará com eles. Ele enxugará de seus olhos toda lágrima; e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem lamento, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas.”

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

A SÃ DOUTRINA DE DEUS



“Tu, porém, fala o que convém à sã doutrina”. (Tt 2.1).

A palavra doutrina se origina do grego: “didache”, que significa ensino ou instrução dos apóstolos. Entendemos que a sã doutrina é a revelação do Eterno Deus por meio das sagradas escrituras e representa o alicerce e o sustentáculo da verdadeira fé cristã.
Vejamos o que a bíblia nos ensina sobre a sã doutrina:

I.TIPOS DE DOUTRINAS EXISTENTES:
A. Doutrinas de homens: (Mc 7.6-9; Mt 15.6-9).
B. Doutrinas de hereges: (Ap 2.6,15)
C. Doutrinas de demônios: (I Tm 4. 1-2).
D. Doutrina de Deus: (Jo 7.16; Tt 2.10).

II.CONSIDERAÇÕES ESSENCIAIS ACERCA DA SÃ DOUTRINA:
A. Precisamos cuidar da sã doutrina (I Tm 4.16).
B. Devemos nos afastar dos que vivem em desacordo com a sã doutrina (Rm 16.17).
C. Devemos nos afastar dos opositores a sã doutrina. (I Tm 1.9-11).
D.O motivo da existência de falsas doutrinas. (I Tm 6.3-5).
E. Não devemos recebê-los nem cumprimentá-los. ( II Jo 10).
F. Haverá tempos em que não suportarão a sã doutrina. (II Tm 4.3).
G. Cuidado com os ventos de Doutrina. (Ef 4.14).

III.A IMPORTÂNCIA DA SÃ DOUTRINA:
A. Jesus tinha uma Doutrina: (Mt 7.28; Mt 22.33; Lc 4.32).
B. Os Cristãos primitivos tinham uma Doutrina a qual perseverava: (At 2.42).
C. Os crentes de Roma pautavam sua vida por excelente doutrina: (Rm 6.17).
D. Paulo recomendou a Tito e a Timóteo o cuidado com a doutrina: (ITm 1.3-10; 4.6-16; 6.3; II Tm4.3; Tt 1.9; Tt 2.1).
E. João determinou a doutrina: (2Jo .9).
F. João recomendou a doutrina: (2Jo 10).
G. A doutrina proporciona comunhão com Deus: (2Jo .9).
H. A doutrina proporciona piedade: (I Tm 6.3)

IV. A NECESSIDADE DA SÃ DOUTRINA:
A. Preservar dos falsos profetas: (Mt 24.24; Mt 7.15).
B. Preservar das heresias e apostasias: (II Ts 2.3; I Tm 4. 1-2).
C. Para não corromper nosso entendimento: (II Ts 2.2).
D. Devemos guardar as tradições: (II Ts 2.15).
E. Proporciona-nos a segurança da salvação em Cristo: (I Tm 4:16).
F. Santifica-nos: (Jo 17:14-17).
G. Tornar-nos sábios: (II Tm 3:15).
H. Tornar-nos obedientes: (Rm. 6.17).

V.A SUFICIÊNCIA DA SÃ DOUTRINA:
A. Ninguém poderá alterar a doutrina: (Gl 1.8).
B. Ninguém poderá ensinar outra doutrina: (I Tm 1.3).

VI.A COMPLETUDE DA SÃ DOUTRINA:
A. A doutrina está completa e não precisa de nenhuma modificação: (Ap 22. 18-19).


Por fim, enfatizamos a relevância do conhecimento doutrinário para a solidificação de uma fé autentica que combate as heresias e propaga veementemente a suprema verdade de Deus.

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Escrituras Sagradas ou Tradições Orais



O que é a tradição oral?

É a transmissão de saberes feita oralmente, pelo povo, de geração em geração, isto é, de pais para filhos ou de avós para netos. Estes saberes tanto podem ser os usos e costumes das comunidades, como podem ser os contos populares, as lendas, os mitos e muitos outros textos que o povo guarda na memória (provérbios, orações, lengalengas, adivinhas, cancioneiros, romanceiros, etc.). Também são conhecidos como patrimônio oral ou patrimônio imaterial. Através deles cada povo marca a sua diferença e encontra-se com as suas raízes, isto é, revela e assume a sua identidade cultural.

O que é Escritura sagrada?

Escritura sagrada. Expressão que designa a bíblia. É o conjunto de escritos sagrados da Primeira Aliança e da Nova Aliança de Deus com os homens.

Conclusão.

A Bíblia é a fonte principal. Ela é Inspirada pelo Espirito Santo de Deus tendo Deus como o seu Autor (conf. 2Tm 3,16; 2Pd 1,20-21; Gl 1, 1-12) . A tradição oral como foi dita acima ela é passada de Pai para filho e conforme a carta de Paulo aos romanos ele fala que todos nós somos pecadores - (Rm 5,12). Se somos pecadores então a tradição oral não é uma fonte confiável.

terça-feira, 8 de agosto de 2017

As 13 lições que aprendi com a Arca de Noé




 1º LIÇÃO - É importante ser pontual, e não chegar depois da hora programada de partida. 

2ºLIÇÃO - Lembre-se que todos são diferentes, mas estamos no mesmo Barco.

 3º LIÇÃO - Planos para o futuro? Não estava chovendo quando Noé começou a construir a Arca. 

4º LIÇÃO - Nunca se sinta velho, apesar do fato de alguém dizer que seu tempo já passou e que na sua idade você não pode fazer nada de grande importância.

 5º LIÇÃO - Não dê atenção à censura, continue o trabalho que lhe foi confiado. 

6º LIÇÃO - Tudo o que você fizer ou construir que seja de boa qualidade, mesmo não sendo expert ou o que você mais saiba fazer.

 7º LIÇÃO - Quando procurar uma companhia para sua viagem na vida, encontre uma pessoa que tenha os mesmos ideais relacionados a você. Os opostos podem se atrair, mas não conseguirão muito mais que isso. Então procure um parceiro que compartilhe a mesma meta e visão de continuar caminhando para a Arca. 

8º LIÇÃO - Se você sentir que seu progresso é lento, não se desespere por que o importante é a perseverança. As preguiças também estavam a bordo da Arca e foram salvas assim como os animais ágeis. 

9º LIÇÃO - Apesar de no início você se sentir sozinho ou de fazerem piadas, não se desvie da estrada e escolha os alvos corretos. 

10º LIÇÃO - Não despreze os esforços das pessoas comuns, a Arca foi construída por amadores e o Titanic por profissionais.

 11º LIÇÃO - Não existe opção! Você tem que participar na construção da Arca, a fim de poder ser salvo por ela. Não há volta!

12º LIÇÃO - Uma só equipe e seus membros construíram a Arca, não construíram cada um a sua. 

13º LIÇÃO - Não importa qual tempestade você esteja enfrentando. 
Se tiver fé, haverá sempre uma esperança à sua espera.

"Para que possamos aplicar nas mais diversas situações"... Na vida!!