quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

GENESIS



Autor: Tradicionalmente Moisés

Data: Cerca de 1440 a.C.

Autor:
A tradição judaica lista Moisés como o autor do Gênesis e dos outros quatro livros que o seguem, juntos, estes livros são denominados de Pentateuco. Jesus disse: “Se vós crêsseis em Moisés, creríeis em mim, porque de mim escreveu ele” (Jo 5,46) O próprio Pentateuco descreve Moisés como alguém que escreveu extensivamente. Ver Ex 17,14; 24,4; Dt 31,24; At 7,22 nos conta que “Moisés foi instruído em toda ciência dos egípcios.” Nas notas que acompanham o texto nós observamos que Gênesis emprega um bom número de termos emprestados dos egípcios, sendo este um fato que sugere que o autor original tenha as suas origens no Egito, como era o caso de Moisés.

Data:
A data tradicional do êxodo do Egito se encontra no meio do décimo quinto século a.C. 1 Rs 6,1 afirma que Salomão começou a construir o templo “no ano quatrocentos e oitenta, depois de saírem os filhos de Israel do Egito”. Entende-se que Salomão tenha iniciado a construção em cerca de 960 a.C., datando assim o êxodo em 1440 a.C. Desta forma Moisés redigiu o Êxodo depois de 1440 a.C., durante os quarenta anos no deserto.

Conteúdo:
Gênesis inicia com a formação do sistema solar, os preparativos da terra para sua habitação, e a criação da vida sobre a terra. Todos os oito atos da criação foram executados em seis dias.
Os dez capítulos seguintes explicam as origens de muitas qualidades misteriosas da vida: a sexualidade humana, o matrimônio, o pecado, a doença, as dores do parto, a morte, a ira de Deus, a inimizade do ser humano contra o próprio ser humano e as dispersão das raças e línguas sobre toda a terra.
Iniciando no cap. 12, Gênesis relata o chamado de Abraão e a inauguração do concerto de Deus com ele, um concerto glorioso e eterno que foi renovado com Isaque e Jacó. Gênesis é impressionante pela forma característica da sua narrativa, realçada pelo relato inspirador de José e pela multiplicação do povo de Deus no Egito. Trata-se de uma lição na eleição divina, conforme encontrado por Paulo em Rm 9.
Gênesis antecipa o NT de muitas maneiras: o próprio Deus pessoal, a Trindade, a instituição do matrimônio, a seriedade do pecado, o julgamento divino e a justificação pela fé. A Árvore da Vida, perdida em Gênesis, é restaurada em Ap 22.
Gênesis conclui com a bênção de Jacó sobre Judá, de cuja tribo viria o Messias: “O cetro não se arredará de Judá, nem o legislador dentre seus pés, até que venha Siló; e a ele se congregarão os povos” (49,10). Muitos séculos e muitas lutas seguir-se-ão antes que esta profecia encontre o seu cumprimento em Jesus.

Cristo Revelado:
O Cristo preexistente, a Palavra viva, estava muito envolvido na criação. “Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez” (Jo 1,3). O ministério de Jesus está antecipado em Gn 3,15, sugerindo que a “semente” da mulher que ferirá a cabeça da serpente (satanás) é Jesus Cristo, a “posteridade” de Abraão mencionada por Paulo em Gl 3,16. Melquisedeque é o misterioso rei-sacerdote do cap. 14. Uma vez que Jesus é rei e também sumo sacerdote, a carta aos Hebreus faz, de forma apropriada, esta identificação (Hb 6,20).
A grande revelação de Cristo em Gn se encontra no estabelecimento do concerto de Deus com Abraão nos caps. 15 e 17. Deus fez promessas gloriosas a Abraão, e Jesus é o maior cumprimento destas promessas, uma verdade que é explicada de forma detalhada por Paulo em Gálatas. Boa parte da Bíblia está fundamentada sobre o concerto abraâmico e o seu desenvolvimento em Jesus Cristo.
A dramática história da prontidão de Abraão em sacrificar a Isaque segundo a ordem de Deus apresenta uma incrível semelhança com o evento crucial do NT. “Toma agora teu filho, o teu único filho, Isaque, a quem amas... E oferece-o em holocausto” (22.2), lembra-nos da prontidão de Deus em sacrificar o seu único Filho pelos pecados de todo o mundo.
Por fim, a bênção de Jacó sobre Judá antecipa a vinda de “Siló”, a ser identificada como o Messias. “E a Ele se congregarão os povos (49,10).

O Espírito Santo em Ação.
“O Espírito de Deus se movia sobre a face das águas” (1,2). Desta forma achamos o Espírito envolvido na criação. O Espírito Santo também operou em José, um fato que foi óbvio pra o Faraó: “Acharíamos um varão como este, em quem haja o Espírito de Deus?” (41,38)
Embora o Espírito Santo não seja mencionado de outra forma em Gênesis, nós o vemos em ação ao atrair os animais dos quatro cantos da terra para dentro da arca de Noé. Nós também percebemos a sua operação através das vidas dos patriarcas: Ele protegeu os patriarcas e as suas famílias e os abençoou materialmente. Todo tipo de dificuldades e situações impossíveis cercaram a família escolhida, tentando frustrar, onde possível, o cumprimento das promessas de Deus a Abraão; porém o Espírito de Deus resolveu, de maneira sobrenatural cada um destes desafios.

Esboço de Gênesis
I. A história primitiva do ser humano 1,1– 11,32
As narrativas da criação 1,1-2,5
1. Criação dos céus, da terra, e da vida sobre a terra 1,1-2,3
2. Criação do ser humano 2,4-25
A) A queda do ser humano 3,1-24
·         O mundo anterior ao dilúvio 4,1-5,32
·         Noé e o dilúvio 6,1-9,29
·         A Tabela das nações 10,1-32
·         A confusão das línguas 11,1-9
·         Genealogia de Abraão 11,10-32
II. Os patriarcas escolhidos 12,1-50,26

Abrão (Abraão) 12,1-23,20
1.      O chamado de Abraão 12,1-23,20
2.      A batalha dos reis 14,1-24
3.      O concerto de Deus com Abraão 15,1-21,34
4.      O teste de Abraão 22;1-24

Isaque 24,1-26; 35
1.      A noiva de Isaque vem da Mesopotâmia 24,1-67
2.      A morte de Abraão 25,1-11
3.      Ismael, Esaú e Jacó 25,12-34
4.      Deus confirma seu concerto com Isaque 26.1-35

Jacó 27.1-35,29
1.      Jacó engana o seu pai 27,1-46
2.      A fuga de Jacó para Harã 28,1-10
3.      Deus confirma o concerto com Jacó 28,11-22
4.      O casamento de Jacó em Harã 29,1– 30,43
5.      O retorno de Jacó para Canaã 31,1-35,29

Esaú 36,1-43

José 37,1-50,26
1.      A venda de José 37,1-40,23
2.      A exaltação de José 41,1-57
3.      José e os seus irmãos 42,1-45,28
4.      Jacó muda para o Egito 46,1-48,22
5.      A benção de Jacó e o seu sepultamento 49,1-50,21
6.      Os últimos dias de José 50,22-26

Marco Antonio Lana

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

DOUTRINA DOS ANJOS - 03 – ANJOS – Quem São Esses Seres?






No capitulo anterior focalizou a necessidade de estudar estes seres e deixou evidente que a angeologia é uma doutrina amplamente exposta na Bíblia. Agora continuamos com base na palavra de Deus, a considerar esta doutrina.



Quem são os anjos? Respostas erradas tem sido dadas a esta pergunta como já vimos. Embora ao se possa encontrar na Bíblia tudo o que desejamos para satisfazer nossa curiosidade sobre os seres angelicais, cremos que Deus nos revela o necessário para nossa compreensão a seu respeito.



I.                  SÃO MENSAGEIROS.



A palavra “anjo” deriva da língua latina – ângelus – que é correspondente à palavra grega angelos. No hebraico a palavra para anjo é mal’ako. O significado comum é mensageiro, enviado.



“Anjos”, com sentido de mensageiros, não diz respeito á natureza espiritual desses seres, mas determina a sua missão. Com esse mesmo sentido de mensageiro ou enviado, pessoas humanas são chamadas anjos, o sacerdote - "Porque os lábios do sacerdote guardam a ciência e é de sua boca que se espera a doutrina, pois ele é o mensageiro do Senhor dos exércitos". (Ml 2,7); o rei - "Que o rei, ajuntou ela, se digne pronunciar uma palavra de paz, porque o rei, meu senhor, é como um anjo de Deus para discernir o bem do mal. Que o senhor, teu Deus, seja contigo!" (2Sm 14,17); os pastores lideres das sete igrejas do Apocalipse - "Ao anjo da igreja de Éfeso, escreve: Eis o que diz aquele que segura as sete estrelas na sua mão direita, aquele que anda pelo meio dos sete candelabros de ouro. Ao anjo da igreja de Esmirna, escreve: Eis o que diz o Primeiro e o Último, que foi morto e retomou a vida. "Ao anjo da igreja de Pérgamo, escreve: Eis o que diz aquele que tem a espada afiada de dois gumes". (Ap 2,1.8.12); "Ao anjo da igreja de Sardes, escreve: Eis o que diz aquele que tem os sete Espíritos de Deus e as sete estrelas. Conheço a tua obras: és considerado vivo, mas estás morto. Ao anjo da igreja de Filadélfia, escreve: Eis o que diz o Santo e o Verdadeiro, aquele que tem a chave de Davi - que abre e ninguém pode fechar; que fecha e ninguém pode abrir. "Ao anjo da igreja de Laodicéia, escreve: Eis o que diz o Amém, a Testemunha fiel e verdadeira, o Princípio da criação de Deus". (Ap 3,1.7.14). Contudo, não é difícil perceber quando o termo se refere aos seres celestiais, porque vem associado à pessoa de DEUS como, por exemplo, em : "O anjo do Senhor, encontrando-a no deserto junto de uma fonte que está no caminho de Sur," (Gn 16,7); "E teve um sonho: via uma escada, que, apoiando-se na terra, tocava com o cimo o céu; e anjos de Deus subiam e desciam pela escada. No alto estava o Senhor," (Gn 28,12), “O anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem, e os livra.” (Sl 34-7).



II.               SÃO CRIATURAS DE DEUS.



Deus criou tudo que existe, as coisas visíveis e as invisíveis. Entre elas criou os anjos – "Nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as criaturas visíveis e as invisíveis. Tronos, dominações, principados, potestades: tudo foi criado por ele e para ele". (Cl 1,16). Examinando a Bíblia, concluímos que foram criados todos de uma só vez – Deus criou ma companhia de anjos e não uma raça.



Þ    Quando foram criados?



Provavelmente foram criados antes da criação do mundo físico. A Bíblia não fala da criação dos anjos diretamente. Podemos entender á luz de Jó 38,4-7 – “Os filhos de Deus”, que foram testemunhas da criação de todas as coisas, certamente eram os anjos. Puderam-se contemplar toda a criação divina, é porque já haviam sido criados antes dela.



Þ    Quantos foram criados?



Não há como contá-los. As Escrituras falam de milhares de milhares - "Saído de diante dele, corria um rio de fogo. Milhares e milhares o serviam, dezenas de milhares o assistiam! O tribunal deu audiência e os livros foram abertos". (Dn 7,10); "Na minha visão ouvi também, ao redor do trono, dos Animais e dos Anciãos, a voz de muitos anjos, em número de miríades de miríades e de milhares de milhares," (Ap 5,11), de miríades - "Vós, ao contrário, vos aproximastes da montanha de Sião, da cidade do Deus vivo, da Jerusalém celestial, das miríades de anjos," (Hb 12,22), de legiões - "Crês tu que não posso invocar meu Pai e ele não me enviaria imediatamente mais de doze legiões de anjos?" (Mt 26,53). Tentar descobrir quantos são e nomeá-los é pura tolice, porque a Bíblia dá números indefinidos. Há um número definido deles, que apenas o Senhor conhece, pois  foram criados ao mesmo tempo, de uma só vez.



Þ    Em qual estado foram criados?



Originalmente as criaturas angelicais eram santas. Todas as outras coisas criadas por Deus eram boas - "Deus contemplou toda a sua obra, e viu que tudo era muito bom. Sobreveio a tarde e depois a manhã: foi o sexto dia". (Gn 1,31) e os anjos foram criados neste estado de justiça, bondade e santidade. Havia uma condição original de igualdade em todos os anjos - "Pois se Deus não poupou os anjos que pecaram, mas os precipitou nos abismos tenebrosos do inferno onde os reserva para o julgamento;" (2Pd 2,4). Os anjos que assim perseveraram, continuaram a serviço do Senhor e foram chamados “eleitos” - "Guardai-vos de menosprezar um só destes pequenos, porque eu vos digo que seus anjos no céu contemplam sem cessar a face de meu Pai que está nos céus". (Mt 18,10); "Eu te conjuro, diante de Deus e de Cristo Jesus e dos anjos escolhidos, a que guardes essas regras sem prevenção, nada fazendo por espírito de parcialidade". (1Tm 5,21).



Os anjos maus são os que não perseveraram no estado original. Rebelaram-se e tornaram-se inimigos de Deus, dos outros anjos e dos homens, e estão condenados a tormentos e castigos eterno - "Os anjos que não tinham guardado a dignidade de sua classe, mas abandonado os seus tronos, ele os guardou com laços eternos nas trevas para o julgamento do Grande Dia". (Jd 1,6); "Eis que se puseram a gritar: Que tens a ver conosco, Filho de Deus? Vieste aqui para nos atormentar antes do tempo?" (Mt 8,29); "Voltar-se-á em seguida para os da sua esquerda e lhes dirá: - Retirai-vos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno destinado ao demônio e aos seus anjos". (Mt 25,41).



Þ    Onde habitam?



Habitam nas regiões celestiais, onde se manifestam. Várias referencias nos dão conta de que os anjos tem sua habitação numa dimensão celestial. Jacó sonhando, viu anjos que subiam e desciam uma escada cujo topo tocava os céus - "E teve um sonho: via uma escada, que, apoiando-se na terra, tocava com o cimo o céu; e anjos de Deus subiam e desciam pela escada. No alto estava o Senhor," (Gn 28,12). No Apocalipse anjos são vistos no céu - "Depois disso, o anjo tomou o turíbulo, encheu-o de brasas do altar e lançou-o por terra; e houve trovões, vozes, relâmpagos e terremotos". (Ap 8,5). Quando descem a terra o fazem para cumprir uma missão - "De repente, apresentou-se um anjo do Senhor, e uma luz brilhou no recinto. Tocando no lado de Pedro, o anjo despertou-o: Levanta-te depressa, disse ele. Caíram-lhe as cadeias das mãos". (At 12,7).

III.           SUA PERSONALIDADE E NATUREZA.



Há informações bíblicas preciosas sobre personalidades e natureza dos anjos. Vejamos:



Þ    Os anjos são seres pessoais.



Deus atribuiu a esses seres que criou características pessoais. A crendice popular tem os anjos como espíritos impessoais ou influencias sobre os homens. Diferentemente do que popularmente se pensa, a Bíblia os apresenta como pessoas. são seres inteligentes, tem vontade própria e  prerrogativas específicas. Um exame do texto de Gn 19.1-13 demonstra isso. Dois anjos estão dialogando inteligentemente com Ló, determinando providencias e agindo coerentemente.



Þ    Os anjos são seres imortais.



Não são eternos, nem possuem a imortalidade essencial, que só Deus possui - "o único que possui a imortalidade e habita em luz inacessível, a quem nenhum homem viu, nem pode ver. A ele, honra e poder eterno! Amém". (1Tm 6,16), mas são imortais - "Eles jamais poderão morrer, porque são iguais aos anjos e são filhos de Deus, porque são ressuscitados". (Lc 20,36), do mesmo modo que o são almas dos homens. A eternidade para os anjos é a mesma concedida aos seres humanos, na qualidade de criaturas de Deus – Lc 20.34-36.



Þ    Os anjos são seres espirituais e incorpóreos.



Os seres celestiais estão destituídos de qualquer forma corpórea - "Pela tarde, apresentaram-lhe muitos possessos de demônios. Com uma palavra expulsou ele os espíritos e curou todos os enfermos". (Mt 8,16); "Pois não é contra homens de carne e sangue que temos de lutar, mas contra os principados e potestades, contra os príncipes deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal (espalhadas) nos ares". (Ef 6,12); "Não são todos os anjos espíritos ao serviço de Deus, que lhes confia missões para o bem daqueles que devem herdar a salvação?" (Hb 1,14). Por isso não possuem carne e nem osso - "Vede minhas mãos e meus pés, sou eu mesmo; apalpai e vede: um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que tenho". (Lc 24,39) e não podem exercer atividades que são próprias dos seres humanos -"Na ressurreição, os homens não terão mulheres nem as mulheres, maridos; mas serão como os anjos de Deus no céu". (Mt 22,30).

Anjos aparecem na forma de homem - "Abraão levantou os olhos e viu três homens de pé diante dele. Levantou-se no mesmo instante da entrada de sua tenda, veio-lhes ao encontro e prostrou-se por terra". (Gn 18,2); "Pela tarde chegaram os dois anjos a Sodoma. Lot, que estava assentado à porta da cidade, ao vê-los, levantou-se e foi-lhes ao encontro e prostrou-se com o rosto por terra". (Gn 19,1); agiram como homens, ingerindo alimentos -"Tomou manteiga e leite e serviu aos peregrinos juntamente com o novilho preparado, conservando-se de pé junto deles, sob a árvore, enquanto comiam". (Gn 18,8); "Mas Lot insistiu tanto com eles que acederam e entraram em sua casa. Lot preparou-lhes um banquete, mandou cozer pães sem fermento e eles comeram". (Gn 19,3), apenas para convencer de sua presença real as pessoas a quem apareciam.



“Os anjos de Deus não tomam outros corpos para se manifestarem, mas tomam formas de pessoas humanas visíveis para se fazerem manifestos” – Cabral, p 9.



Sendo espirituais, são também invisíveis - "Nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as criaturas visíveis e as invisíveis. Tronos, dominações, principados, potestades: tudo foi criado por ele e para ele". (Cl 1,16).



Þ    Os anjos são seres morais.



Se são seres pessoais, possuem também uma natureza moral, e portanto se encontram debaixo de obrigação moral. São recompensados por sua obediência  e foram castigados por sua desobediência. Há anjos que permaneceram fieis a DEUS - "Cornélio fixou nele os olhos e, possuído de temor, perguntou: Que há, Senhor? O anjo replicou: As tuas orações e as tuas esmolas subiram à presença de Deus como uma oferta de lembrança. "Responderam: O centurião Cornélio, homem justo e temente a Deus, o qual goza de excelente reputação entre todos os judeus, recebeu dum santo anjo o aviso de te mandar chamar à sua casa e de ouvir as tuas palavras". (At 10,4.22); "há de beber também o vinho da cólera divina, o vinho puro deitado no cálice da sua ira. Será atormentado pelo fogo e pelo enxofre diante dos seus santos anjos e do Cordeiro". (Ap 14,10) e anjos desobedientes, infiéis que caíram - "Então! Caíste dos céus, astro brilhante, filho da aurora! Então! Foste abatido por terra, tu que prostravas as nações!" (Is 14,12); "Vós tendes como pai o demônio e quereis fazer os desejos de vosso pai. Ele era homicida desde o princípio e não permaneceu na verdade, porque a verdade não está nele. Quando diz a mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira". (Jo 8,44).



Þ    Os anjos são seres gloriosos.



Foram criados com glória e dignidade sobre-humana - "Se alguém se envergonhar de mim e das minhas palavras, também o Filho do Homem se envergonhará dele, quando vier na sua glória, na glória de seu Pai e dos santos anjos". (Lc 9,26). No Apocalipse alguns anjos são descritos com majestades – Ap 101-3, contudo, não possuem a mesma glória do Pai nem a mesma glória do Filho – Hb 1,5-13. Anjos são  seres celestiais são seres divinos.



Þ    Os anjos são seres poderosos.



Aos anjos é conferido maior poder que os homens - "embora os anjos, superiores em força e poder, não pronunciem contra elas, aos olhos do Senhor, o julgamento injurioso". (2Pd 2,11). O salmista reconhece o poder desses seres – “Bendizei ao Senhor, vós anjos seus, poderosos em força, que cumpris as suas ordens, obedecendo à voz da sua palavra!” (103.20). Eles conhecem as leis a da natureza e dominam o fogo e a água - "E outro anjo, aquele que tem poder sobre o fogo, saiu do altar e bradou em alta voz para aquele que tinha a foice afiada: Lança a foice afiada e vindima os cachos da vinha da terra, porque maduras estão as suas uvas". (Ap 14,18); "Ouvi, então, o anjo das águas dizer: Tu és justo, tu que és e que eras o Santo, que assim julgas". (Ap 16,5).



Há muitos fatos bíblicos que evidenciam o poder dos anjos. Vejamos alguns:



·        "Mandou, pois, o Senhor a peste a Israel, desde a manhã daquele dia até o prazo marcado. Ora, foi nos dias da colheita do trigo que o flagelo começou no povo, e morreram setenta mil homens da população, desde Dã até Bersabéia. a E o Senhor enviou um anjo sobre Jerusalém para destruí-la". (2Sm 24,15-16);

·        "O anjo do Senhor apareceu no campo dos assírios e feriu cento e oitenta e cinco mil homens. No dia seguinte, de manhã, ao despertar, só havia lá cadáveres". (Is 37,36);

·        "E eis que houve um violento tremor de terra: um anjo do Senhor desceu do céu, rolou a pedra e sentou-se sobre ela". (Mt 28,2).



Entretanto, o poder dos anjos não é ilimitado. Não são onipotentes. São mais poderosos que os homens, mas não têm o mesmo  poder que Deus. Não são capazes de criar nada, nem esquadrinhar o coração humano. Os anjos podem influenciar a mente humana do mesmo modo como outro ser humano influencia. A influencia dos anjos maus, porém, pode ser impedida pelo poder de Deus  - Ef 6,10-12; 1Jo 4,4.18.



Þ    Os anjos são seres inteligentes.



Não são oniscientes. Não tem inteligência num grau perfeitamente elevado como Deus - "Quanto àquele dia e àquela hora, ninguém o sabe, nem mesmo os anjos do céu, mas somente o Pai". (Mt 24,36), mas possuem em grau mais elevado que os homens - "Que o rei, ajuntou ela, se digne pronunciar uma palavra de paz, porque o rei, meu senhor, é como um anjo de Deus para discernir o bem do mal. Que o senhor, teu Deus, seja contigo! Foi para dar a esse assunto uma nova feição que Joab fez isso. Porém tu, ó rei, meu senhor, és tão sábio como um anjo de Deus, para saber tudo o que se passa na terra!" (2Sm 14,17).



Þ    Os anjos são seres assexuados



Os anjos, tanto os bons, como os maus, são seres que ano apresentam característica de macho e fêmea. Jesus respondeu aos saduceus, que não criam nas existências de anjos, que estes não casam, o que indica que não têm sexo e, conseqüentemente, não se propagam – “Jesus respondeu: Os filhos deste mundo casam-se e dão-se em casamento, mas os que serão julgados dignos do século futuro e da ressurreição dos mortos não terão mulher nem marido. Eles jamais poderão morrer, porque são iguais aos anjos e são filhos de Deus, porque são ressuscitados.” (Lc 2034-36).

Na Bíblia não se encontra a expressão “filhos de anjos”, pois os anjos são filhos diretos de Deus por ato de criação e por obediência - "Um dia em que os filhos de Deus se apresentaram diante do Senhor, veio também Satanás entre eles". (Jó 1,6); "Ora, um dia em que os filhos de Deus se apresentaram diante do Senhor, Satanás apareceu também no meio deles na presença do Senhor". (Jó 2,1).



Em Gn 6.2 – “os filhos de Deus viram que as filhas dos homens eram belas, e escolheram esposas entre elas". os “filhos de Deus” não são anjos como alguns entendem. São os descendentes de Sete, que eram tidos como os verdadeiros adoradores de Deus, e são assim chamados para diferençar dos descendentes de Caim.



CONCLUINDO




Em resumo “embora haja semelhança entre anjos e Deus e entre anjos e homens, anjos são uma classe distinta de seres. Como Deus mas diferente dos homens, eles não podem morrer. Como Deus eles são superiores em poder em relação ao homem, contudo não são onipotentes. Do mesmo modo que Deus e o homem eles tem personalidade. Como Deus  eles são espirituais, mas não são onipresentes como Deus é” – Ryrie, p12

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

DOUTRINA DOS ANJOS - 02 – ANGEOLOGIA – Uma Doutrina Bíblica.







Tem crescido muito o mercado de livros relacionados a Igreja no Brasil. Há algum tempo atrás era pequeno o número de editoras.



Há livros sobre anjos e demônios que não tem como fonte somente as Escrituras. Baseiam-se também nas experiências ou alinham às informações bíblicas os ensinamentos do misticismo religioso do nosso tempo. Serve-nos, portanto, a advertência paulina – "Estai de sobreaviso, para que ninguém vos engane com filosofias e vãos sofismas baseados nas tradições humanas, nos rudimentos do mundo, em vez de se apoiar em Cristo". (Cl 2,8).



Devemos estudar angeologia unicamente por uma perspectiva bíblica.



Os anjos são mencionados em toda a Bíblia – 111 no 1.º Testamento e 178 vezes no 2.º Testamento, 72 dos quais no Apocalipse – BIBLIA ON LINE.



I.                  ANJOS NO 1.º TESTAMENTO.



Em todas as partes do 1.º Testamento os anjos são mencionados.



Þ    Nos livros da lei.



  • Gênesis –



q       "E expulsou-o; e colocou ao oriente do jardim do Éden querubins armados de uma espada flamejante, para guardar o caminho da árvore da vida". (Gn 3,24);

q       "O anjo do Senhor, encontrando-a (Agar) no deserto junto de uma fonte que está no caminho de Sur," (Gn 16,7);

q       "Abraão levantou os olhos e viu três homens de pé diante dele. Levantou-se no mesmo instante da entrada de sua tenda, veio-lhes ao encontro e prostrou-se por terra". (Gn 18,2);

q       "O anjo do Senhor, porém, gritou-lhe do céu: “Abraão! Abraão!” “Eis-me aqui!”" (Gn 22,11);

q       "Pela tarde chegaram os dois anjos a Sodoma. Lot, que estava assentado à porta da cidade, ao vê-los, levantou-se e foi-lhes ao encontro e prostrou-se com o rosto por terra". (Gn 19,1).

q       "E teve um sonho: via uma escada, que, apoiando-se na terra, tocava com o cimo o céu; e anjos de Deus subiam e desciam pela escada. No alto estava o Senhor," (Gn 28,12);

q       "Jacó ficou só; e alguém lutava com ele até o romper da aurora". (Gn 32,24).



  • Êxodo –



q       “Vou enviar um anjo adiante de ti para te proteger no caminho e para te conduzir ao lugar que te preparei". (Ex 23,20);

q       "Vai agora e conduze o povo aonde eu te disse: meu anjo marchará diante de ti. Mas, no dia de minha visita, eu punirei seu pecado.”" (Ex 32,34).



  • Números –



q       "Clamamos ao Senhor, ele nos ouviu, e mandou-nos um anjo que nos tirou do Egito. Eis-nos agora aqui em Cades, cidade situada nos confins de teu território". (Nm 20,16);

q       "Então o Senhor abriu os olhos de Balaão, e ele viu o anjo do Senhor que estava no caminho com a espada desembainhada na mão. Inclinou-se e prostrou-se com a face por terra". (Nm 22,31);



Þ    Nos livros históricos.



Nestes há algumas referencias a anjos.



  • Juizes –



q       "O anjo do Senhor subiu de Gálgala a Boquim e disse: Eu vos fiz subir do Egito e vos conduzi a esta terra que eu tinha prometido com juramento a vossos pais. E vos tinha dito: jamais hei de romper a aliança que fiz convosco;" (Jz 2,1);

q       "Amaldiçoai Meroz, disse o Anjo do Senhor, amaldiçoai, amaldiçoai seus habitantes! Porque não vieram em socorro do Senhor, em socorro do Senhor, com os guerreiros". (Jz 5,23);

q       "Depois veio o anjo do Senhor e sentou-se debaixo do terebinto de Efra, que pertencia a Joás, da família de Abieser. Gedeão, seu filho, estava limpando o trigo no lagar, para escondê-lo dos madianitas". (Jz 6,11);

q       "O anjo do Senhor apareceu a esta mulher e disse-lhe: Tu és estéril, e nunca tiveste filhos; mas conceberás e darás à luz um filho". (Jz 13,3);



  • Livros dos Reis –



q       "Veio o anjo do Senhor uma segunda. vez, tocou-o e disse: Levanta-te e come, porque tens um longo caminho a percorrer". (1Rs 19,7);

q       "Mas o anjo do Senhor falou a Elias, o tesbita: Sobe ao encontro dos mensageiros do rei de Samaria, e dize-lhes: Não há porventura um Deus em Israel, para irdes consultar Baal-Zebub, deus de Acaron?" (2Rs 1,3);

q       "Ora, nessa mesma noite o anjo do Senhor apareceu no campo dos assírios e feriu cento e oitenta e cinco mil homens. No dia seguinte pela manhã só havia cadáveres". (2Rs 19,35).



Þ    Nos livros poéticos.



  • Jó –



q       "Ele não confia nem em seus próprios servos; até mesmo em seus anjos encontra defeitos," (Jó 4,18);

q       "Se perto dele se encontrar um anjo, um intercessor entre mil, para ensinar-lhe o que deve fazer," (Jó 33,23);

q       "Um dia em que os filhos de Deus (anjos) se apresentaram diante do Senhor, veio também Satanás entre eles". (Jó 1,6).

q       "Ora, um dia em que os filhos de Deus (anjos) se apresentaram diante do Senhor, Satanás apareceu também no meio deles na presença do Senhor". (Jó 2,1);

q       "sob os alegres concertos dos astros da manhã, sob as aclamações de todos os filhos de Deus (anjos)?" (Jó 38,7).



  • Salmos –



q       “Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos.” (Sl 91.11);

q       “Bendizei ao Senhor, vós anjos seus, poderosos em força, que cumpris as suas ordens, obedecendo à voz da sua palavra!” (Sl 103,20).



Þ    Nos profetas



Há nos livros proféticos registros de várias visões em que aparecem anjos.



  • Daniel –



q       "Pois bem, replicou o rei, eu vejo quatro homens soltos, que passeiam impunemente no meio do fogo; o quarto tem a aparência de um filho dos deuses". (Dn 3,92).

q       "Meu Deus enviou seu anjo e fechou a boca dos leões; eles não me fizeram mal algum, porque a seus olhos eu era inocente e porque contra ti também, ó rei, não cometi falta alguma". (Dn 6,23).



  • Isaias –



q       "Os serafins se mantinham junto dele. Cada um deles tinha seis asas; com um par (de asas) velavam a face; com outro cobriam os pés; e, com o terceiro, voavam". (Is 6,2).



Portanto, basta folhear o 1.º Testamento para notar que os anjos “não são símbolos. Alegorias ou criações místicas. A o contrario, são seres reais, objeto de fé do povo de Israel, o qual admita que Deus se servia dos anjos para governar p mundo e dirigir os rumos da história” (Macityre, p.52

  

II.               ANJOS NO 2.º TESTAMENTO.



O 2.º Testamento reafirma a doutrina dos anjos exposta no 1.º.



Þ    Nos evangelhos.



Podemos constatar primeiro, que os anjos aparecem nesta parte a algumas pessoas, ás quais comunicam alguma revelação:



·        José –

q       "Enquanto assim pensava, eis que um anjo do Senhor lhe apareceu em sonhos e lhe disse: José, filho de Davi, não temas receber Maria por esposa, pois o que nela foi concebido vem do Espírito Santo". (Mt 1,20);

q       "Despertando, José fez como o anjo do Senhor lhe havia mandado e recebeu em sua casa sua esposa". (Mt 1,24);

q       "Depois de sua partida, um anjo do Senhor apareceu em sonhos a José e disse: Levanta-te, toma o menino e sua mãe e foge para o Egito; fica lá até que eu te avise, porque Herodes vai procurar o menino para o matar". (Mt 2,13);

q       "Com a morte de Herodes, o anjo do Senhor apareceu em sonhos a José, no Egito, e disse:" (Mt 2,19).



·        Maria –



q       "No sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré," (Lc 1,26);

q       "Entrando, o anjo disse-lhe: Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo". (Lc 1,28);

q       "O anjo disse-lhe: Não temas, Maria, pois encontraste graça diante de Deus". (Lc 1,30);

q       "Maria perguntou ao anjo: Como se fará isso, pois não conheço homem?" (Lc 1,34);

q       "Respondeu-lhe o anjo: O Espírito Santo descerá sobre ti, e a força do Altíssimo te envolverá com a sua sombra. Por isso o ente santo que nascer de ti será chamado Filho de Deus". (Lc 1,35);

q       "Então disse Maria: Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo afastou-se dela". (Lc 1,38).



·        Zacarias –



q       "Apareceu-lhe então um anjo do Senhor, em pé, à direita do altar do perfume". (Lc 1,11).

q       "Mas o anjo disse-lhe: Não temas, Zacarias, porque foi ouvida a tua oração: Isabel, tua mulher, dar-te-á um filho, e chamá-lo-ás João". (Lc 1,13).



·        Jesus –



q       "Aí esteve quarenta dias. Foi tentado pelo demônio e esteve em companhia dos animais selvagens. E os anjos o serviam". (Mc 1,13);

q       "E eis que houve um violento tremor de terra: um anjo do Senhor desceu do céu, rolou a pedra e sentou-se sobre ela". (Mt 28,2);

q       "O inimigo, que o semeia, é o demônio. A colheita é o fim do mundo. Os ceifadores são os anjos". (Mt 13,39);

q       "Assim será no fim do mundo: os anjos virão separar os maus do meio dos justos" (Mt 13,49);

q       "Guardai-vos de menosprezar um só destes pequenos, porque eu vos digo que seus anjos no céu contemplam sem cessar a face de meu Pai que está nos céus". (Mt 18,10);

q       "Na ressurreição, os homens não terão mulheres nem as mulheres, maridos; mas serão como os anjos de Deus no céu". (Mt 22,30);

q       "Na ressurreição dos mortos, os homens não tomarão mulheres, nem as mulheres, maridos, mas serão como os anjos nos céus". (Mc 12,25);

q       "Digo-vos que haverá júbilo entre os anjos de Deus por um só pecador que se arrependa". (Lc 15,10);

q       "Ora, aconteceu morrer o mendigo e ser levado pelos anjos ao seio de Abraão. Morreu também o rico e foi sepultado". (Lc 16,22).

 



Þ    Em atos dos Apóstolos.



·        Ascensão de Jesus –

q       "Enquanto o acompanhavam com seus olhares, vendo-o afastar-se para o céu, eis que lhes apareceram dois homens vestidos de branco, que lhes disseram:" (At 1,10);



·        Filipe –

q       "Um anjo do Senhor dirigiu-se a Filipe e disse: Levanta-te e vai para o sul, em direção do caminho que desce de Jerusalém a Gaza, a Deserta". (At 8,26).



·        Cornélio –

q       "Este homem viu claramente numa visão, pela hora nona do dia, aproximar-se dele um anjo de Deus e o chamar: Cornélio!" (At 10,3);

q       "Este nos referiu então como em casa tinha visto um anjo diante de si, que lhe dissera: Envia alguém a Jope e chama Simão, que tem por sobrenome Pedro". (At 11,13);



·        Paulo –

q       "Esta noite apareceu-me um anjo de Deus, a quem pertenço e a quem sirvo, o qual me disse:" (At 27,23).



Þ    Nas cartas paulinas.



Nesta seção do 2.º Testamento desenvolve-se a doutrina. Por 14 vezes a palavra anjo é mencionada.



·        Paulo não só acreditava  na existência deles, como também em seus serviços:

q       "Pois estou persuadido de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem o presente, nem o futuro, nem as potestades," (Rm 8,38);

q       "Então que é a lei? É um complemento ajuntado em vista das transgressões, até que viesse a descendência a quem fora feita a promessa; foi promulgada por anjos, passando por um intermediário". (Gl 3,19).



·        Paulo afirma que os anjos são criaturas de Deus como tais estão sujeitas a Cristo:

q       "Nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as criaturas visíveis e as invisíveis. Tronos, dominações, principados, potestades: tudo foi criado por ele e para ele". (Cl 1,16);

q       "para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho no céu, na terra e nos infernos". (Fl 2,10).



·        Paulo ensina que, quando na terra, Jesus Cristo foi assistido pelos anjos -"Sim, é tão sublime - unanimemente o proclamamos - o mistério da bondade divina: manifestado na carne, justificado no Espírito, visto pelos anjos, anunciado aos povos, acreditado no mundo, exaltado na glória!" (1Tm 3,16); que quando Cristo voltar, se ouvirá a voz do arcanjo - "Quando for dado o sinal, à voz do arcanjo e ao som da trombeta de Deus, o mesmo Senhor descerá do céu e os que morreram em Cristo ressurgirão primeiro". (1Ts 4,16) e que a lei foi transmitida pelo ministério dos anjos - "Então que é a lei? É um complemento ajuntado em vista das transgressões, até que viesse a descendência a quem fora feita a promessa; foi promulgada por anjos, passando por um intermediário". (Gl 3,19).



·        Paulo, por outro lado, adverte quanto ao perigo de se dar credito a um evangelho  pregado por algum anjo - "Mas, ainda que alguém - nós ou um anjo baixado do céu - vos anunciasse um evangelho diferente do que vos temos anunciado, que ele seja anátema". (Gl 1,8) e mostra aos crentes de Colossos o erro de comparar Cristo aos anjos - "Ninguém vos roube a seu bel-prazer a palma da corrida, sob pretexto de humildade e culto dos anjos. Desencaminham-se estas pessoas em suas próprias visões e, cheias do vão orgulho de seu espírito materialista," (Cl 2,18).



Þ    Na carta aos Hebreus.



Nesta carta os anjos aparecem mencionados 12 vezes. O propósito do autor e demonstrar a superioridade de Jesus Cristo sobre eles:



·        "tão superior aos anjos quanto excede o deles o nome que herdou". (Hb 1,4);

·        "Pois a quem dentre os anjos disse Deus alguma vez: Tu és meu Filho; eu hoje te gerei (Sl 2,7)? Ou então: Eu serei seu Pai e ele será meu Filho (II Sm 7,14)?" (Hb 1,5);

·        "Pois a qual dos anjos disse alguma vez: Assenta-te à minha direita até que eu ponha os teus inimigos por escabelo dos teus pés (Sl 109,1)?" (Hb 1,13);

·        "Não são todos os anjos espíritos ao serviço de Deus, que lhes confia missões para o bem daqueles que devem herdar a salvação?" (Hb 1,14);

·        "Vós, ao contrário, vos aproximastes da montanha de Sião, da cidade do Deus vivo, da Jerusalém celestial, das miríades de anjos," (Hb 12,22).



Þ    Nas cartas de Pedro.



O apóstolo Pedro ensina sobre a justiça divina aplicada aos anjos decaídos - "Pois se Deus não poupou os anjos que pecaram, mas os precipitou nos abismos tenebrosos do inferno onde os reserva para o julgamento;" (2Pd 2,4) e sobre a sujeição dos anjos a Jesus Cristo - "Esse Jesus Cristo, tendo subido ao céu, está assentado à direita de Deus, depois de ter recebido a submissão dos anjos, dos principados e das potestades". (1Pd 3,22).



Þ    No Apocalipse.



Neste livro a palavra anjo aparece 72 vezes, nas quais os seres angelicais desempenham variados papeis.



·        "Na minha visão ouvi também, ao redor do trono, dos Animais e dos Anciãos, a voz de muitos anjos, em número de miríades de miríades e de milhares de milhares," (Ap 5,11);

·        "Eu vi os sete Anjos que assistem diante de Deus. Foram-lhes dadas sete trombetas". (Ap 8,2);

·        "Outro anjo saiu do templo, gritando em voz alta para aquele que estava assentado na nuvem: Lança a tua foice e ceifa, porque é chegada a hora de ceifar, pois está madura a seara da terra". (Ap 14,15);

·        "Vi ainda, no céu, outro sinal, grande e maravilhoso: sete Anjos que tinham os sete últimos flagelos, porque por eles é que se deve consumar a ira de Deus". (Ap 15,1).